Freguesia de Zambujal - Condeixa-a-Nova
  
                               
ALMINHAS DA FREGUESIA DE ZAMBUJAL
 
FONTE COBERTA
  
Alminha na Rua Caminho de Santiago
 
No muro da casa do Sr. Jorge Fernandes Freire e família, foi mandada construir pelo proprietário no início deste século uma alminha. É um nicho edificado no muro e revestido a pedra. Apresenta três alminhas a arder no Purgatório e dois anjos. Possui as seguintes inscrições: P. N. A. M.. Nssa  Sra do Carmo. A pintura desta alminha foi executada por Maria João Lopes Duarte.
 
ZAMBUJAL
    
Alminha/ex-voto da Igreja Paroquial 
 
Existe uma alminha no interior da igreja paroquial do Zambujal. Aliás, para além de ser uma alminha, onde está representada Nossa Senhora das Dores, Santo António com o menino ao colo e alminhas, é um ex-voto representando um almocreve, Francisco Moita, e suas quatro alimárias num pedido de intercessão quando corria perigos na vida. Segundo a tradição popular este almocreve terá transportado, na fuga, os estudantes que mataram perto de Condeixa-a-Nova os lentes da Universidade de Coimbra que iam jurar fidelidade ao rei absolutista D. Miguel, e ainda hoje possui descendentes na freguesia.
A alminha é constituída por um retábulo de madeira, decifrável, de 1824. O retábulo possui uma inscrição: FM. Q FES. A SNR.ª DAS DORES. ES. ANTE.ºEASALMAS A FRANC.º, MOUTA.q. UENDOSE..EMPERIGOS. DEVIDA PEDIU AOSMOS. SANTOS ELOGO LHESCUDIRÃO 1824 
   
Alminha da Rua da Calçada  
     
     No entroncamentos da Ruas da Calçada com a Rua das Poças, a Junta de Freguesia, no ano de 2004, aproveitando um antigo fontanário, desativado e em mau estado de conservação, que se encontrava junto do lado Sul do edifício da mesma Junta, voltou a reerguê-lo encostado a parede de um quintal na Rua da Calçada, tendo mandado fazer um painel de azulejo à pintora Maria João Lopes Duarte, onde consta Santo António com o menino ao colo, alminhas a arder no Purgatório, e com a inscrição:

Alminha do Fundo do Lugar

     Encontra-se num entroncamento das Ruas do Choisolinho e Escola Primária. O local é conhecido por Fundo do Lugar.
     A Alminha foi erigida no muro de um quintal, à base de cimento revestido de azulejo. É encimado por pilastras e por uma cruz de cimento.
    Possui um nicho com um painel de azulejo representando Cristo crucificado com três alminhas a arder, protegido com uma grade de ferro.
    No interior da alminha existe um lampadário.
    No painel de azulejo há uma inscrição: Almas. Oferta de Abilino Maria. Foi edificada em 1952.

SERRA DE JANEANES

Alminha da Capela de Nossa Senhora da Expectação

     A Alminha encontra-se no interior da capela local. A alminha foi pintada numa tela que se encontra danificada. Tem uma inscrição: PELAS ALMAS DO PURGATÓRIO.

Alminha da Rua das Alminhas
     É uma construção de cimento, caiada de branco, envolvida por um pequeno muro. É encimada por uma cruz de cimento e duas pilastras laterais.
     Possui nicho ladeado por cantaria de pedra.
     Interiormente apresenta um azulejo com cercadura oval, tipo medalhão, representando Nossa do Carmo com o menino ao colo, dois anjos a agarrarem duas almas e alminhas a arder.
     Entre o nicho e a cruz há uma inscrição: Ofereceu Emília Narciso. Fica Ao Cuidado De Seus Sobrinhos.
     No painel de azulejo há a registar a seguinte inscrição: Ó VÓS QUE IDES PASSANDO/LEMBRAI-VOS DAS ALMAS/QUE ESTÃO PENANDO.
     Era sua proprietária a senhora Emília Narciso, já falecida.

Este trabalho foi executado pelo Presidente da Junta de Freguesia no ano de 2012. Resulta, também, de um levantamento das alminhas do concelho de Condeixa-a-Nova efetuado em colaboração com o Dr. Rui Miranda, publicado pela Câmara Municipal de Condeixa-a-Nova em 2001.

Bibliografia recomendada
Abreu, Fernando Manuel Carreira de, e Miranda, Rui Manuel Ferreira, Alminhas do Concelho de Condeixa-a-Nova - Levantamento Fotográfico, Câmara Municipal de Condeixa-a-Nova, 2001.
Cardoso, Carlos Lopes, Santo António e as Alminhas Populares, Separata do Boletim Cultural da Assembleia Distrital de Lisboa, III série, n.º 87, 1.º tomo, 1959.
Gonçalves, Flávio, Os painéis do Purgatório e as origens das «Alminhas Populares», Separata do Boletim da Biblioteca Municipal de Matosinhos, n.º 6, Matosinhos, 1959.
Le Goff, Jacques, O nascimento do Purgatório, Lisboa, Editorial Estampa, 1993.


    • Autarcas
    • Geografia
    • Demografia
    • Serviços
    • Resenha
    • Heráldica
    • Património
    • Padroeiro
                  
Copyright © Todos os direitos reservados. Proíbida a reprodução na totalidade ou em parte, sem prévia permissão por escrito da junta de Freguesia.

visitas até ao momento.

Balcão virtual | Notícias | Proximidade | Contactos